Comércio varejista no AM tem queda de 1,3% nas vendas, aponta IBGE

AMAZONAS O comércio varejista registrou queda de 1,3% no mês de abril em comparação ao mês anterior. A pesquisa mensal foi divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (12).

A queda deixou o Amazonas em oitava posição nacional entre os estados que tiveram as maiores baixas no setor comercial. No topo da lista, está Paraíba com -3,5%, seguido de Rio de Janeiro com -2,8% e o Pará com -2,6%.

O estado de Rondônia ocupou a 11ª posição, com queda de -1,2% e o Acre em 13ª, com -0,9.

Estados da região Norte com queda no volume de vendas do comércio varejista

Posição Estado Quantidade
Pará – 2,6%
Amazonas – 1,3%
Rondônia – 1,2%
Acre – 0,9%

A maior alta de crescimento nas vendas em todo o país ocorreu no município de Roraima, que teve crescimento de 3,2%, e Amapá, com 2,7%, e Tocantins, com 0,7%.

Entretanto, quando comparado com abril de 2018, neste ano houve um aumento nas vendas de 6,7% no Amazonas.

Já em relação ao acumulado no ano, este foi o primeiro resultado positivo em 2019, com acréscimo de 0,2%. O número alcançou uma posição intermediária (16ª) entre as maiores variações acumuladas das 27 unidades da federação. Já o acumulado nos últimos doze meses manteve os valores positivos (1,8%).

Volume de Vendas

O volume de vendas do comércio varejista ampliado – que inclui as atividades de veículos, motos, artes e peças e de material de construção – teve queda de 0,2% em abril de 2019 frente a março de 2019.

O comércio varejista ampliado aumentou 5,2% frente a abril de 2018, após os meses de fevereiro e março apresentarem alta (5,9% e 0,2%). Dessa forma, o varejo ampliado acumulou 2,9% no ano no volume de vendas. O indicador acumulado nos últimos 12 meses continua positivo (6,0%).

Maioria dos Estados brasileiros tem comércio em baixa

De acordo com dados do IBGE, as vendas caíram em 20 das 27 Unidades da Federação no mês de abril, na comparação com março.

De março para abril de 2019, na série com ajuste sazonal, a taxa média nacional de vendas do comércio varejista mostrou decréscimo de 0,6%, com predomínio de resultados negativos em 20 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Paraíba (-3,5%) e Rio de Janeiro (-2,8%) e Pará (-2,6%).

Por outro lado, pressionando positivamente, figuram sete das 27 Unidades da Federação, destacando-se, em termos de magnitude de taxa: Roraima (3,2%), Amapá (2,7%) e Bahia (0,9%).