Sete pessoas são presas durante operação da SSP-AM suspeitas de envolvimento com milícia em Manaus

AMAZONAS Sete pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (14), durante a operação “Cidade das Trevas”, realizada em ocupações irregulares nas zonas Norte e Oeste de Manaus. Segundo o secretário de segurança do Estado, coronel Louismar Bonates, os presos são suspeitos de possuir envolvimento em milícias dentro de invasões. Foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão. Um balanço final ainda será apresentado pela secretaria.

A ação policial ocorreu nas comunidades Cidade das Luzes, no Tarumã, Zona Oeste, e Buritizal, no Nova Cidade, Zona Norte. Além de combater a criminalidade, o objetivo nessas áreas é prender, principalmente, suspeitos de formação de milícia.

Bonates informou ainda que na comunidade Cidade das Luzes, no Tarumã, o tráfico de drogas é intenso. Segundo ele, as milícias estão sendo investigadas desde janeiro deste ano.

“Foi uma investigação longa e, hoje, nós viemos para uma ocupação pesada com 600 homens de todo o sistema de segurança pública para pacificar a comunidade e retirar daqui os líderes das milícias. Sete já foram presos. As investigações continuarão”, disse.

A operação integrada entre a Polícia Civil e Militar envolveu o Corpo de Bombeiros, o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), montou barreira para contenção de possíveis fugas e fiscalização de veículos.

O delegado geral da Polícia Civil do Estado, Lázaro Ramos, relatou que a investigação em torno dessa operação teve início com o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO).

“Desde janeiro houve um monitoramento dos milicianos nessa área e as denúncias da população fez com que montássemos a ação. Os milicianos obrigam a pessoa a pagar por terras e quando não há pagamento, eles expulsam ou ameaçam de morte. Eles também obrigam a pessoa a participar do tráfico de drogas. Eles têm um grupo específico para ameaçar e matar.

Ainda conforme o delegado, a polícia procura um possível cemitério clandestino na região do Tarumã que pode ser utilizado pela milícia.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP) deve apresentar um balanço da operação ao longo desta semana.