Grávida de 8 meses é achada morta dentro da Santa Casa, em Manaus

Leidiane de Souza Ferreira, 20, grávida de oito meses, foi encontrada morta dentro do prédio da Santa Casa de Misericórdia, no Centro de Manaus. A vítima foi atingida por dois disparos de arma de fogo no pescoço. De acordo com a polícia, o principal suspeito do crime seria o companheiro dela, um homem conhecido como “Sapo”.

A jovem morava no local com o companheiro, desde setembro de 2014 – época em que foram colocados os tapumes em frente à Santa Casa e a promessa do governo era de, após reforma, o local voltar a funcionar como um hospital voltado ao atendimento e tratamento de crianças e adolescentes com câncer.

O corpo foi encontrado por volta das 7h, por uma amiga da vítima. A vítima estava jogada no chão, em uma sala no primeiro andar do prédio.

“Eu fui lá com ela cedo entregar uma pedra de sabão. Chamei no corredor e ela não falou nada. Aí, eu fui lá e a vi jogada no chão já morta. Chorei muito, ajoelhei do lado dela e comecei a rezar pra pedir a Deus olhar por ela”, disse Juciana Ataíde, de 19 anos.

Segundo a avó de Leidiane, a jovem era usuária de drogas há aproximadamente de 3 anos, e estava junto com o companheiro há cerca de dois – quando a jovem tinha saído de casa para viver nas ruas. Leidiane já tinha falado para família que “Sapo” era agressivo e que a ameaçava de morte se ela o deixasse.

“Ele explorava, colocava ela para fazer programa e arranjar dinheiro pra comprar droga para ele. Ela também é usuária. O ‘Sapo’ já tinha tentado matar ela duas vezes, já tinha furado de faca e espancado a minha neta. Ela contou que era ameaçada”, disse a avó a autônoma, Sônia Maria Seixas de Morais, 56.

A avó viu Leidiane pela última vez, na quinta-feira (15). A jovem foi até a casa da família no bairro Monte Sinai, Zona Norte de Manaus. “Eu pedi para ela voltar para casa. E ela disse para eu não me preocupar. Foi a última vez que falei com ela. Eu pedia pra ela voltar pra casa porque não tinha necessidade dela ficar na rua. A mãe dela morreu, mas deixou uma casa grande e terrenos para ela e para as três irmas. Eu dizia pra ela abandonar este homem e ela dizia ‘Vovó o ‘sapo’ não deixa’”, disse a avó.

Amigos do casal, disseram ter ouvido eles discutirem a noite inteira. “Ele estava batendo nela. Ele sempre fazia isso. Ontem mesmo ele ameaçou jogar ela da escada. Ele não aceitava porque a filha que ela estava esperando não era dele. Isso foi a gota d´água”, disse o lavador de carros Felipe Martins, de 21 anos.

A jovem deixou uma filha de um ano e dois meses. Policiais da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) atenderam a ocorrencia. A polícia está em busca do suspeito.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), na Zona Norte. O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).