Comparativo de abril de 2019 mostr que Manaus duplica número de mortes com escalada da Covid-19

Um dos epicentros da pandemia de coronavírus no país, Manaus registrou 2.607 mortes em abril, bem mais que o dobro do que somou no mesmo mês do ano passado (1.025) e do que o número médio de óbitos (1.017 por mês) que costumava registrar nos meses anteriores à chegada da doença na cidade.

Os dados mostrados pelo Portal da Transparência do Registro Civil Nacional e podem indicar que o impacto do coronavírus é ainda maior do que mostram os números oficiais. Segundo levantamento da Secretaria Estadual da Saúde contabiliza na capital amazonense 532 óbitos por covid-19 desde os primeiros registros de casos em março, mês em que 1.047 pessoas morreram na cidade, segundo dados dos cartórios.

Muitas das mortes que aconteceram neste ano, após a chegada do coronavírus, acabam sendo registradas nos cartórios brasileiros como insuficiência respiratória ou pneumonia, um efeito da defasagem de testes no país. Parte dos mortos, apesar de ter desenvolvido sintomas da doença, não chega a passar pela testagem necessária para a confirmação. Por isso, as estatísticas acabam mostrando um retrato nada fiel do quadro real. De acordo com dados dos cartórios, por exemplo, em abril foram registrados 351 óbitos por covid-19 em Manaus —a secretaria municipal aponta que foram 360 no período.

Com o segundo menor índice de leitos de UTI (19 a cada 100.000 habitantes) entre as dez capitais com mais casos confirmados de coronavírus, Manaus trabalha há duas semanas com ocupação acima de 90% nas unidades de terapia intensiva, sendo que a rede estadual na cidade já atingiu sua capacidade máxima. Em abril, o serviço funerário havia entrado em colapso. Nos cemitérios públicos, o sepultamentos passaram a utilizar valas coletivas por falta de espaço e coveiros, enquanto funerárias privadas esgotaram estoque de caixões. No primeiro dia de maio, a cidade chegou ao pico de 151 enterros. Até o início do ano, a média, agora superior a 100, era de 30 sepultamentos diários.

Pelas estatísticas repassadas por cartórios ao Registro Civil Nacional, a tendência de mortes em Manaus para este mês segue em alta.