Queiroz presta depoimento hoje à PF sobre vazamento de operação

O ex-assessor Fabrício Queiroz deve ser ouvido hoje na investigação do Polícia Federal que apura suspeita de vazamento de uma operação da corporação que beneficiou o agora senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Será o primeiro depoimento de Queiroz desde o início da investigação das rachadinhas, ainda em 2018. A informação foi confirmada à CNN pela defesa de Queiroz.

A investigação foi aberta após entrevista ao jornal “Folha de S. Paulo”,do empresário Paulo Marinho. Segundo ele, que é suplente do senador Flávio Bolsonaro, o filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se beneficiou de informações passadas por um delegado da Polícia Federal, que teria avisado ao político que Queiroz aparecia nas investigações.

Queiroz também será ouvido em uma investigação do Ministério Público Federal, por meio do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial, que também apura vazamento de operação da PF.

A ideia dos investigadores é que ele fale da proximidade do gabinete de Flavio Bolsonaro com policiais federais e dê sua versão sobre os fatos relatados por Paulo Marinho na investigação do MPF.

O órgão aguarda o fim do período de quarentena de Queiroz, que acaba na próxima quinta-feira, quando ele completa 14 dias detido no complexo penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio.

O MPF já requisitou informações à Secretaria de Administração Penitenciária do Rio para levantar informações sobre as condições em que o ex-assessor está preso.

Flávio deve ser ouvido na investigação

Investigadores também irão ouvir Flávio Bolsonaro nesta apuração. A Procuradoria Geral da República confirmou à CNN que já enviou ao senador Flávio Bolsonaro a intimação para que ele preste  depoimento na investigação do MPF do Rio.

O documento foi assinado pelo procurador geral Augusto Aras e encaminhado ao gabinete do senador na última segunda-feira (22).  Desde então, segundo a PGR, começou a contar o prazo de 30 dias para que  a defesa de Flávio Bolsonaro procure o MPF no Rio e marque uma data para o parlamentar prestar esclarecimentos.

Segundo a defesa, ele será ouvido em Brasília em data a ser confirmada nos próximos dias. Flávio também quer ser ouvido pelo Ministério Público do Rio na investigação das rachadinhas.

O MPF do Rio já marcou outros depoimentos  na investigação do vazamento da Operação Furna da Onça. Na ocasião, devem ser ouvidos dois advogados mencionados por Paulo Marinho que poderiam respaldar seu relato de que de fato Flávio Bolsonaro teve acesso à informações privilegiadas.

Christiano Fragoso, segundo Paulo Marinho, estava na reunião em que Flávio Bolsonaro declarou saber de informações sigilosas da Polícia Federal. E Ralph Hage Vianna é apontado pelo empresário como o primeiro advogado indicado para defender Fabrício Queiroz.

 

CNN BRASIL*